Secretário de Saúde, Ivoliciano Leonardchik, fala sobre a preocupação da administração com esta nova onda de casos de Covid-19. Foto: arquivos Mang Mídia

Os casos positivos de Covid-19 vêm crescendo de forma significativa em todo o mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, o número de novas infecções por dia atingiu um pico de 45.665 pessoas somente no último sábado, 8 de Janeiro. O cenário de aumento nos casos de coronavírus também foi uma realidade em Mangueirinha, que segundo o Boletim Covid da última Quarta-feira dia 12 de Janeiro, atualmente conta com 61 pessoas infectadas pelo vírus.

Para sanar as dúvidas da população, a Live Mang Mídia contou com convidados especiais, profissionais da área da saúde que estão todos os dias convivendo com esta realidade. Esteve presente na live, o Secretário de Saúde de Mangueirinha e Presidente do Cosems – PR, Ivoliciano Leonarchik, junto à diretora administrativa da Associação Saúde de Mangueirinha, Rosângela Almeida, e também o proprietário do Laboratório LAMAC, Mário Sérgio Pazio.

Em pauta, o novo decreto que trouxe novamente restrições em algumas atividades para conter o avanço da doença, esclarecimentos relacionados a Covid-19 e sua variante, a importância da vacinação e demais assuntos ligados a saúde.

NOVOS CASOS DE COVID-19

Já no início do programa o Secretário de Saúde, Ivoliciano Leonardchik, fala sobre a preocupação da administração com esta nova onda de casos de Covid-19. “Não imaginávamos que no início do ano estaríamos debatendo mais uma vez sobre este assunto, é claro que enquanto gestores municipais, nós tínhamos essa preocupação devido as festividades de final de ano, principalmente sobre o surgimento de uma nova cepa com maior transmissibilidade. Sabemos que a maioria desses casos são oriundos de pessoas que viajaram e que, consequentemente, agora no retorno para seus lares acabaram transmitindo a doença para seus familiares e amigos. A nossa previsão é de que os casos no município aumentem nos próximos dias, podendo passar do recorde de mais de 201 casos ativos detectados no ápice da doença”, salientou o secretário.

TESTES COVID

Quando questionado sobre o aumento no número de testes por conta da nova onda da doença, Mário Sérgio Pazio, proprietário do laboratório LAMAC, respondeu que no início do mês de janeiro, o índice de amostragens realizadas foi grande. “O quantitativo que a gente fez de testes em dezembro comparado com os que fizemos nesses 10 dias já passou de mil porcento dos testes realizados no mês anterior. Está tendo uma procura muito grande, e consequentemente, o desabastecimento de testes. Inclusive, nós já estamos com dificuldades para encontrar fornecedores”, afirmou Mário.

O NOVO SURTO COMENTADO PELA ASSOCIAÇÃO SAÚDE

Rosangela Almeida, diretora administrativa da Associação Saúde de Mangueirinha, comentou sobre o fluxo de pacientes no Hospital. “Não temos nenhum caso de paciente positivo com a Covid-19 internado no Hospital. Tivemos sim o atendimento de pessoas positivadas, mas foram medicadas e liberadas. Como os casos aumentaram bastante, somado ao fato da nova Influenza (H3N2), o número de atendimentos aumentou. Mas é importante a busca do atendimento apenas quando a temperatura estiver acima de 37.9, quando apresentarem dificuldade para respirar ou saturação baixa. No Hospital priorizamos sempre os atendimentos de urgência e emergência”, destacou a gestora.

NOVO SURTO É A ÔMICRON ?

Para o Secretário de Saúde de Mangueirinha, esta nova onda trata-se da variante Ômicron. “A identificação da variante é feita após as amostragens serem enviadas ao LACEN. Em uma conversa que eu tive com o Secretário de Saúde do Estado do Paraná, nós entendemos que essa onda é da nova cepa, mas também salientamos que esse sequenciamento ainda está em fase de conclusão. Mas, ainda assim, acreditamos que a Ômicron é que está circulando, isto devido a rápida transmissão”, disse Ivo.

Sobre a Vacina na contenção da Covid-19

Ainda é cedo para bater o martelo sobre o funcionamento dos imunizantes frente a mais uma mutação do coronavírus, mas para o Secretário Ivo, a vacina vem trazendo uma queda no número de internações. “Acreditamos que a atual vacina tenha o anticorpo necessário para enfrentar esta nova leva. Neste primeiro momento, com as pessoas imunizadas nós já tivemos um efeito positivo, pois elas não estão precisando ficar internadas, consequentemente, não utilizam os leitos de UTI”, disse Ivo.

Fechamento do Comércio

Conforme explicou Ivo, não é a intenção da administração fechar o comércio.” Na elaboração do nosso decreto nós enfatizamos atitudes que não tem impactos financeiros na vida das pessoas. Além disso, conversei com o Secretário de Saúde do Estado para que tenhamos a responsabilidade de não fazer um decreto com resultados negativos na vida financeira da população. O que está restrito agora são situações em que o contagio do vírus é muito grande, como bailes, festividades e outras possíveis aglomerações que venham a acontecer”, apontou.

Vacinação de crianças e volta as aulas

O Secretário de Saúde reafirma a importância da vacinação, principalmente se tratando de crianças, visto que, em outros países muitas tiveram o agravamento da doença. “Em relação a volta as aulas nós temos uma boa notícia que é a vacinação de crianças de 0 a 11 anos de idade. No Estado do Paraná, há uma previsão de 180 mil doses para as crianças, que vão chegar no dia 13 de janeiro. Quando as doses chegarem, nós vamos iniciar a vacinação com as crianças indígenas e com aquelas que tem doença crônica, e depois vamos seguir normalmente o cronograma conforme as idades. Aliás, muitos pais me ligam pedindo minha opinião, penso que a imunização é um direito da criança, eu tenho minha filha de 6 anos e sou um defensor da vacinação. Afinal, o que observamos, principalmente em outros países é o número alto de crianças hospitalizadas pelo agravamento da doença”, disse o secretário.

Após ser questionado sobre se vacinaria ou não sua filha, Mário Pazio destacou a importância da vacinação infantil. “Sim, eu vacinaria minha filha com tranquilidade. Já estamos seguindo um calendário de vacinas, por que não imunizar nossas crianças? Nós sabemos que o organismo só se defende do invasor através de anticorpos. E diante da informação de que muitas crianças estão sendo hospitalizadas por agravamento da Covid-19, é então que entendemos a importância da vacinação”, afirma Pazio.

“Eu sou a favor da vacinação das crianças. Afinal, nossos filhos passam por um calendário de vacinas, e será que algum pai em algum momento se preocupou em que laboratório era feita essa vacina? A vacina contra o coronavírus tem aprovação da Anvisa assim como as outras”, destacou Rosângela, sendo favorável à vacinação.

Aplicativo Conecte SUS

Outro ponto elencado na Live foi o aplicativo Conecte SUS, este é o aplicativo oficial do Ministério da Saúde, onde o cidadão brasileiro pode visualizar as interações realizadas nos pontos de atenção à saúde e acompanhar o seu histórico no Sistema Único de Saúde (SUS), como exames, vacinas, dispensa de medicamentos e localização de estabelecimentos de saúde. “Este é um aplicativo muito simples que você vai baixar no seu celular, preencher com seus dados e depois desse processo ele vai gerar o seu certificado de vacinação. Vale destacar que eu estive alguns lugares neste final de ano em que foi exigido o comprovante de vacina, esse comprovante é aceito e válido em território nacional”, destacou Mário.

Surto da Gripe

Ivoliciano Leonardchik, Secretário de Saúde de Mangueirinha, também destacou o novo surto da gripe. “Está acontecendo uma epidemia da Influenza (H3N2) no Estado do Paraná, nós já temos registrado mais de 665 casos, destes casos há 10 óbitos confirmados. Temos a possibilidade de receber algumas doses da vacina da gripe, e as pessoas poderão tomar no mesmo dia a vacina do Covid em um braço e a vacina da gripe em outro”, disse Ivo.

Diminuição do período de quarentena

O Ministério da Saúde anunciou, nesta segunda-feira (10), a redução da quarentena de dez para sete dias para pessoas com casos leves e moderados de Covid-19. O anúncio gerou muita polêmica, sendo que boa parte das pessoas não são favoráveis a mudança. Segundo o proprietário do Laboratório Lamac, essa decisão é arriscada. “Já tivemos experiências com pessoas que realizaram o teste no oitavo dia e ainda estavam positivadas. Soltar a pessoa com sete dias para voltar suas atividades é bem arriscado”, comentou Mário.

Rosangela também não é favorável à diminuição do período de quarentena. “É uma situação bem delicada, muitas reportagens mostram que a pessoa infectada transmite ainda a doença do sétimo ao décimo dia. A diminuição do período de quarentena pode acarretar na proliferação dos casos de Covid-19”, ressaltou.

“Esse anúncio que foi feito pelo Ministério da Saúde não passou por um processo de pactuação. E para nós essa notícia é muito ruim devido aos conflitos que foram ocasionados, seguimos a última nota técnica, isso significa que o período de quarentena ainda é de 10 dias de isolamento”, destacou Ivo, Secretário de Saúde de Mangueirinha.

Os cuidados continuam

Agora, mais do que nunca, os cuidados para conter o avanço do coronavírus continuam. A utilização da máscara, álcool em gel e distanciamento social são indispensáveis para que não haja o aumento do número de casos da doença.

No Mang Mídia, Ayslam recebeu representantes das entidades ligadas À saúde. Foto: arquivos Mang Mídia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here